Dia da literatura infantil é comemorado com contações de histórias ao ar livre

Publicação 03/05/2021

As atividades foram realizadas na área externa da sala, em um ambiente arborizado, respeitando todos os protocolos de biossegurança

O escritor Monteiro Lobato nasceu no dia 18 de abril de 1882, e por ter escrito obras para o público infantojuvenil, conhecidas mundialmente, era considerado o “pai” da literatura infantil brasileira. Pela sua importância na história do Brasil, em 2002 foi criada a lei no 10.402 que institui o dia 18 de abril como o “Dia nacional do livro infantil”. Durante a semana, a Escola de Aplicação Dr. Alfredo José Balbi, da Universidade de Taubaté (UNITAU), realizou diversas atividades para homenagear Monteiro Lobato e incentivar a leitura dos alunos do Ensino Fundamental I, como contações de histórias ao ar livre e confecções de fantoches dos personagens do “Sítio do picapau amarelo”.

“Nossa escola tem, além de tudo, uma vantagem de um amplo espaço ao ar livre com árvores e contato com a natureza, o que deixa mais prazerosa ainda a experiência da leitura, não se limitando somente a sala de aula. A leitura ganha um ar diferente quando a gente explora esses outros espaços”, comenta a Professora Natalie Aparecida Donizetti dos Santos, responsável pela ação.

As atividades foram realizadas na área externa da sala, em um ambiente arborizado, respeitando todos os protocolos de biossegurança. Antes de iniciar a leitura, a docente contou a eles a história da data comemorativa.

“O ambiente escolar tem inúmeras situações em que a leitura está inserida. Essa leitura deleite, que é mais para entreter, é extremamente importante e está presente diariamente na nossa rotina de sala de aula, da nossa turma e outras turmas do colégio. Ela é extremamente importante porque amplia os horizontes dos alunos, traz conhecimentos de situações variadas, que muitas vezes não são as situações que eles vivem, para conhecer personagens distintos, estilos diferentes de escrita, de gêneros variados e além de podermos contribuir para que no futuro ele possa ter um repertório em que escolha as suas próprias leituras”, relata a professora.

O incentivo à leitura é feito de diversas formas no Colégio UNITAU. Nas turmas do 1° ao 3° ano, por exemplo, são realizadas leituras diárias com os alunos e momentos de contação de histórias utilizando fantoches. Além disso, todos os alunos têm a possibilidade, de uma vez por semana, ir até a biblioteca e escolher um livro para levar para casa e fazer a leitura, e três livros paradidáticos são trabalhados durante o ano.

Desde 2019 os estudantes do colégio participam de um projeto sobre um gênero textual. Depois desse estudo específico, os alunos produzem textos que serão publicados em forma de um livro. Dois livros já foram publicados desde o início do projeto, com todos os contos escritos. Para este ano a expectativa é de que mais um seja disponibilizado.

“O nosso grande objetivo é desenvolver o gosto pela leitura e escrita, disponibilizando aos alunos um bom repertório de livros para que eles possam ter contato. Além disso, nossas atividades também contribuem para o aumento do conhecimento de palavras dos alunos, e também auxiliam no desenvolvimento de estratégias de leitura”, comenta a coordenadora do Ensino Fundamental I, Professora Sabrina Herrera Pimentel.

Bianca Guimarães
ACOM/UNITAU